Google+ Followers

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Rinite

Rinite é um termo médico que descreve a irritação e inflamação crônica ou aguda da mucosa que reveste internamente o nariz. É uma doença que pode ser causada tanto por vírus como por bactérias, embora seja manifestada com mais frequência em decorrência de alergia, ou por reações ao pó, fumaça. A inflamação decorrente da rinite resulta na produção excessiva de muco, gerado pelo acúmulo da histamina, o que ocasiona o escorrimento nasal, sintoma mais típico da rinite.

Resultado de imagem para rinite

Sinusite

Sinusite é uma inflamação de vias respiratórias superiores conhecidas como seios paranasais geralmente associada a um processo infeccioso por vírusbactéria ou fungo mas que também pode estar associado a uma alergia ou a inalação de poluentes. Os seios paranasais são formados por um grupo de cavidades aeradas que se abrem dentro do nariz e se desenvolvem nos ossos da face. Sua frequência varia entre 1 e 15% das crianças e 1 e 40% dos adolescentes dependendo da região do mundo, sendo mais comum em regiões frias e com grandes variações climáticas.
Está fortemente associada a outras infecções das vias superiores como riniteasmabronquiteamigdalite e faringite.

Resultado de imagem para sinusite

Celulite

celulite é "um termo coloquial para depósito de gordura e tecido fibroso causando irregularidades na pele que está por cima", cujo nome correto é Lipodistrofia Ginoide ; encontrando-se usualmente nas nádegas e partes posteriores das coxas. . Caracteriza-se principalmente por ondulações da pele, dando a esta o aspecto de casca de laranja ou de ricota. Embora alvo da indústria da estética e da preocupação de muitas mulheres, a celulite não caracteriza doença, sendo uma forma natural de o organismo armazenar gordura superficial . Faz-se presente no corpo da grande maioria das mulheres (70% a 80%), e mesmo mulheres magras as têm com frequência.
O termo também se refere à infecção bacteriana do subcutâneo, geralmente por estafilo aureus coagulase positivo (S. aureus), que é caracterizada por uma área eritematosa de bordos mal definidos, dolorosa, levemente inchada. Requer tratamento farmacológico; com penicilinas penicilinases-resistentes.
A celulite aparece principalmente na região dos glúteoscoxaabdômennuca e braços.

Resultado de imagem para celulite

Dermatite

Dermatite, também denominada eczema, é um grupo de doenças que causa inflamação da pele. Estas doenças são caracterizadas por prurido e vermelhidão da pele. Nos casos de curta duração podem ocorrer pequenas bolhas, enquanto nos casos de longa duração a pele se pode tornar mais espessa. A área de pele afetada pode variar entre muito pequena e o corpo inteiro.
Entre o grupo de doenças estão a dermatite atópicadermatite de contato alérgicadermatite de contacto irritante e dermatite de estase. A causa precisa da dermatite é muitas vezes pouco clara. Acredita-se que a doença envolva uma combinação de irritação, alergia e estase das veias. O tipo de dermatite é geralmente determinado com base no historial clínico e na localização do eritema. A dermatite de contato alérgica pode ocorrer devido a uma breve exposição a substâncias a que a pessoa é alérgica.
O tratamento de dermatite atópica é feito geralmente com cremes hidratantes e pomadas de esteroides. As pomadas de esteroides são geralmente de intensidade média a elevada e recomenda-se que sejam usadas durante menos de duas semanas de cada vez, já que podem ocorrer efeitos adversos. Nos casos em que se verifique infeção da pele, podem ser recomendados antibióticos. O tratamento da dermatite de contacto consiste geralmente em evitar a exposição ao alergênio ou substância irritante. Os anti-histamínicos podem ser usados para induzir o sono e evitar o prurido durante a noite.
Estima-se que em 2013 a dermatite tenha afetado 334 milhões de pessoas em todo o mundo. A dermatite atópica é o tipo de dermatite mais comum e tem geralmente início durante a infância. A dermatite de contato é duas vezes mais comum em mulheres do que em homens.A dermatite de contato alérgica afeta cerca de 7% das pessoas em algum momento da vida. A dermatite de contato irritante é comum, sobretudo no contexto de determinadas profissões, embora os números exatos sejam incertos.

Resultado de imagem para dermatite

Five nights at Freddy´s

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Questão de Biologia

10. (Enem 2009) Para que todos os órgãos do corpo humano funcionem em boas condições, é necessário que a temperatura do corpo fique sempre entre 36 ºC e 37 ºC.
Para manter-se dentro dessa faixa, em dias de muito calor ou durante intensos exercícios físicos, uma série de mecanismos fisiológicos é acionada.
Pode-se citar como o principal responsável pela manutenção da temperatura corporal humana o sistema:

a) digestório, pois produz enzimas que atuam na quebra de alimentos calóricos.
b) imunológico, pois suas células agem no sangue, diminuindo a condução do calor.
c) nervoso, pois promove a sudorese, que permite perda de calor por meio da evaporação da água.
d) reprodutor, pois secreta hormônios que alteram a temperatura, principalmente durante a menopausa.
e) endócrino, pois fabrica anticorpos que, por sua vez, atuam na variação do diâmetro dos vasos periféricos.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Câncer de garganta

A garganta é um termo popular que engloba as regiões da orofaringe, hipofaringe e laringe. O câncer orofaríngeo é o que se desenvolve na parte da garganta localizada atrás da boca (conhecida como orofaringe). Essa região inclui a base da língua (a parte de trás da língua), o palato mole, as amídalas, os pilares, as paredes laterais e posteriores da orofaringe.

 
A hipofaringe é a região da faringe que se localiza inferiormente à orofaringe e fica atrás da laringe (caixa da voz ou Pomo de Adão), que é um órgão que contem as pregas vocais responsável pela produção da voz que se fecha quando comemos e se abre quando respiramos. A orofaringe é um órgão onde passa o ar e os alimentos.
 
O câncer de garganta, portanto, pode ser notado nas regiões citadas, como uma ferida que não cicatriza.
Sobre o câncer de cabeça e pescoço.


No Brasil, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA) são esperados em 2010, cerca de 14.120 mil novos casos de câncer de boca, sendo 10.330 em homens e 3.790 em mulheres. Não existem estatísticas específicas sobre câncer de garganta.


No Hospital de Câncer de Barretos em 2009, foram registrados 835 casos relacionados cabeça e pescoço, na somatória de todas as partes diferentes afetadas pela região.
 
Os locais mais comuns de câncer na boca são: língua (26%) e os lábios (23%) - principalmente o inferior. Outros 16% são encontrados no assoalho da boca e 11% nas glândulas salivares menores. O restante é encontrado nas gengivas e outros locais. Esses cânceres podem ocorrer em pessoas jovens, mas são raros em crianças. Cerca de um terço dos pacientes têm menos de 55 anos.

A incidência de câncer de boca varia em diferentes regiões mundiais. Ele é muito mais comum na França, Hungria e Índia, por exemplo, do que nos Estados Unidos - e raro em países como o México e no Japão. Cientistas que estudam a doença atribuem essas diferenças a fatores de risco ambientais e comportamentais.
 
Nos países em desenvolvimento, os cânceres de boca estão entre os mais comuns. No Brasil, é o quinto em incidência entre os homens e os tumores em sua grande maioria, são diagnosticados em estado avançado e apenas 20% são detectados precocemente, durante exame médico ou odontológico.

Câncer de boca ou de garganta . Sintomas

Ao identificar a existência de algum desses sintomas abaixo e sua permanência por mais de duas semanas, é indicada a realização de uma consulta com um médico. Nesse caso o médico deverá pedir outros exames, para confirmar ou não o diagnóstico.

Muitos desses sinais e sintomas podem ser causados por outros tipos de câncer ou por doenças menos graves e benignas. Mas quanto mais cedo for feito o diagnóstico e iniciado o tratamento, maiores as chances de cura. Veja abaixo os sintomas que você deve ficar atento para prevenir um câncer de boca ou garganta:

Ferida na boca sem cicatrização (sintoma mais comum)
Dor na boca que não passa (também muito comum, mas em fases mais tardias)
Nódulo persistente ou espessamento na bochecha
Área avermelhada ou esbranquiçada nas gengivas, língua, amídala ou revestimento da boca
Irritação, dor na garganta ou sensação de que alguma coisa está presa ou entalada na garganta
Dificuldade ou dor para mastigar ou engolir
Dificuldade ou dor para mover a mandíbula ou a língua
Inchaço da mandíbula que faz com que a dentadura ou prótese perca o encaixe ou incomode
Dentes que ficam frouxos ou moles na gengiva ou dor em torno dos dentes ou mandíbula
Mudanças persistentes na voz ou respiração ruidosa
Caroços no pescoço
Perda de peso
Mau hálito persistente

domingo, 18 de dezembro de 2016

Aranha

Aranha (gregoarachne; "aranha") é uma ordem de artrópodes da classe Arachnida que inclui as espécies conhecidas pelos nomes comuns de aranhas ou aracnídeos. Tem distribuição natural em todos os continentes (com exceção da Antártida) e ocorrência em praticamente todos os tipos de habitats terrestres. Apresentam oito pernas e maioritariamente quelíceras que injetam veneno, diferenciando-se anatomicamente dos restantes artrópodes por um plano corporal (tagmose) caracterizado por dois tagmas, o cefalotórax e o abdômen, unidos por uma estrutura pequena e cilíndrica, o pedicelo.


 Ao contrário dos insetos, as aranhas não apresentam antenas e possuem um sistema nervoso bem desenvolvido e centralizado, o mais centralizado de entre os artrópodes. Produzem teias com grande variabilidade morfológica e de tamanho utilizando seda das aranhas, uma estrutura de base proteica que combina leveza, força e grande elasticidade, sendo em alguns destes aspectos superior aos melhores materiais sintéticos.

sábado, 17 de dezembro de 2016

Aula de Biologia - Muito boas as imagens

video

Pele


PELE

pele (cútis ou tez), em anatomia, é o órgão integrante do sistema tegumentar (junto ao cabelo e pelosunhas, glândulas sudoríparas sebáceas), que tem por principais funções a proteção dos tecidos subjacentes, regulação da temperatura somática, reserva de nutrientes e ainda conter terminações nervosas sensitivas.
A pele é o revestimento externo do corpo, considerado o maior órgão do corpo humano e o mais pesado. Compõe-se da pele propriamente dita e da tela subcutânea.
Pele humana.jpg
O nome anatômico internacional é cútis. A pele é o maior órgão do corpo humano, constituindo 16% do peso corporal, sendo o órgão mais pesado do corpo 

Histologia

A pele apresenta duas camadas: a epiderme e a derme. A hipoderme, ou tela subcutânea, é uma camada de tecido conjuntivo frouxo, que fica logo abaixo da derme. Há ainda vários órgãos anexos, como folículos pilosos, glândulas sudoríparas e sebáceas; ou penas, escamas e cascos.
A pele é praticamente idêntica em todos os grupos étnicos humanos. Nos indivíduos de pele escura, os melanócitos produzem mais melanina que naqueles de pele clara, porém o seu número é semelhante.
A pele é responsável pela termorregulação, pela defesa, pela percepção e pela proteção. Ela nos protege das doenças, porém não é 100% eficaz, podendo deixar entrar larvas de esquistossomos e do ancilóstomo.

Epiderme

A epiderme é uma camada com profundidade diferente conforme a região do corpo. Zonas sujeitas a maior atrito como palmas das mãos e pés têm uma camada mais grossa (conhecida como pele glabra por não possuírem pelos), e variam de 0,04mm até 1,6mm de espessura.
A epiderme é constituída por um epitélio estratificado pavimentoso queratinizado (células escamosas em várias camadas). A célula principal é o queratinócito (ou ceratinócito), que produz a queratina. A queratina é uma proteína resistente e impermeável responsável pela proteção. Existem também ninhos de melanócitos (produtores de melanina, um pigmento castanho que absorve os raios UV); e células imunitárias, principalmente células de Langerhans, gigantes e com prolongamentos membranares.
A epiderme não possui vasos sanguíneos, porque se nela houvesse vasos ficaria mais sujeita a ser "penetrada" por microorganismos. Os nutrientes e oxigénio chegam à epiderme por difusão a partir de vasos sanguíneos da derme.
- A epiderme apresenta várias camadas. A origem da multiplicação celular é a camada basal. Todas as outras são constituídas de células cada vez mais diferenciadas que, com o crescimento basal, vão ficando cada vez mais periféricas, acabando por descamar e cair (uma origem importante do  que se acumula nos locais onde vivem pessoas ou outros seres vivos).
- Camada basal, é o mais profundo, em contacto com derme, constituído por células cúbicas pouco diferenciadas que se dividem continuamente, dando origem a todas as outras camadas. Contém muito pouca queratina. Algumas destas células diferenciam-se e passam para as camadas mais superficiais, enquanto outras permanecem na camada basal e continuam a se dividir.
- Camada espinhosa: células cúbicas ou achatadas com mais queratina que s basais. Começam a formar junções celulares umas com as outras, como desmossomas e tight junctions (daí o aspecto de espinhos).
- Camada granulosa: células achatadas, com grânulos de queratina proeminentes e outros como substânciae outras proteínas (colagénios).
- Camada lúcida: células achatadas hialinas eosinófilas devido a grânulos muito numerosos proteicos. Estas células libertam enzimas que as digerem. A maior parte já está morta (sem núcleo). Estão presentes na pele sem folículos pilosos (pele glabra).
- Camada córna: constituído de células achatadas eosinófilas sem núcleo (mortas) com grande quantidade de filamentos, principalmente queratinas.
- A junção entre a epiderme e a derme tem forma de papilas, que dão maior superfície de contacto com a derme e maior resistência ao atrito da pele.

Órgãos anexos da epiderme

  • Folículo piloso: produz uma estrutura maciça queratinizada, o pelo, que é produzido por células especializadas na sua raiz, constituindo o bulbo piloso. Tem músculo liso eretor e terminações nervosas sensitivas associadas. Os folículos pilosos dos bigodes de alguns animais como o gato são altamente especializados como órgãos dos sentidos.

Derme

A derme é um tecido conjuntivo que sustenta a epiderme. É constituído por elementos fibrilares, como o colágeno e a elastina e outros elementos da matriz extracelular, como proteínas estruturais, glicosaminoglicanos, íons e água de solvatação. Os fibroblastos são as células envolvidas com a produção dos componentes da matriz extracelular.
A derme é subdividida em duas camadas: a camada papilar em contato com a epiderme, formada por tecido conjuntivo frouxo, e a camada reticular, constituída por tecido conjuntivo denso não modelado, onde predominam as fibras colagenosas. É na derme que se localizam os vasos sanguíneos que nutrem a epiderme, vasos linfáticos e também os nervos e os órgãos sensoriais a eles associados. Estes incluem vários tipos de sensores:

  1. Corpúsculo de Vater-Pacini, sensores de adaptação rápida, detectam vibrações nas faixas de 30 - 800Hz.
  2. Corpúsculo de Meissner com função de detecção de pressões de frequência diferente. Detectam vibrações entre 3 - 8Hz.
  3. Corpúsculo de Krause, sensíveis ao frio (pele glabra).
  4. Órgão de Ruffini, sensíveis ao calor.
  5. Célula de Merckel, sensíveis a tacto e pressão.
  6. Folículo piloso, com terminações nervosas associadas.
  7. Terminação nervosa livre, com dendritos livres sensíveis à dor e temperatura.
A hipoderme, já não faz parte da pele. É constituída por tecido adiposo que protege contra o frio.
É um tecido conjuntivo frouxo ou adiposo que faz conexão entre a derme e a fáscia muscular e a camada de tecido adiposo é variável à pessoa e localização.
Funções: reservatório energético; isolante térmico; modela superfície corporal; absorção de choque e fixação dos órgãos.
Camadas
  • Areolar: superficial; adipócitos globulares e volumosos e numerosos e delicados vasos.
  • Lâmina fibrosa: separa a camada areolar da lamelar.
  • Lamelar: mais profunda; aumento da espessura com ganho de peso (hiperplasia).

Tipos de pele

  • Pele eudérmica: tem superfície lisa, flexível, lubrificante e umedecida. É aquela onde ocorre um equilíbrio entre o conteúdo hídrico e o conteúdo graxo.
  • Pele graxa: emulsão tipo A/O. Aumento de secreção sebácea.
  • Pele alípica: secreção sebácea insuficiente e secreção hídrica normal.
  • Pele desidratada: caracterizada pela diminuição hídrica normal e secreção sebácea normal.
  • Pele hidratada: aumento de teor hídrico. Hiperidrose.
  • Pele mista: ocorrência de pele graxa na zona central do rosto e pele alípica nas bochechas.

Fisiologia (função)

A pele é um órgão muito mais complexo do que aparenta. A sua função principal é a proteção do organismo das ameaças externas físicas. No entanto, ela tem também funções imunitárias, é o principal órgão da regulação do calor, protegendo contra a desidratação. Tem também funções nervosas, constituindo o sentido do tato e metabólicas, como a produção da vitamina D.

Proteção física

A epiderme secreta proteínas e lípidos (a principal proteína é a queratina) que protegem contra a invasão por parasitas e a injúria mecânica e o atrito. Contra esta também é fundamental o tecido conjuntivo da derme, no qual os fibrócitos depositam proteínas fibrilares com propriedades de resistência à tracção e elasticidade, como os colagénios e a elastina. A melanina produzida pelos seus melanócitos protege contra a radiação, principalmente UV. Sua quantidade aumentada produz o bronzeamento da pele.

Proteção da desidratação

Uma das funções vitais da pele é a proteção contra a desidratação. Os seres humanos são animais terrestres, e necessitam proteger os seus corpos, compostos principalmente por água, contra a evaporação excessiva e desidratação e o subsequente choque hipovolémico e morte, que seriam inevitáveis num meio seco e quente. É comum vítimas de queimaduras graves entrarem em choque hipovolémico (sangue com pouco volume devido à perda de água) se perderem superfície cutânea extensamente. A pele protege da desidratação por dois mecanismos. As junções celulares como tight junctions e desmossomas dão coesão às células da epiderme e a sua superfície contínua de membrana lipídica impede a saída de água (que não se mistura com lípidos).

Regulação da temperatura corporal

A pele também é o principal órgão da regulação da temperatura corporal através de diversos mecanismos:
  1. Os vasos sanguíneos subcutâneos contraem-se com o frio e dilatam-se com o calor, de modo a minimizar ou maximizar as perdas de calor.
  2. Os folicúlos pilosos têm músculos que produzem a sua erecção com o frio ("pele de galinha"), aprisionando bolhas de ar estático junto à pele que retarda as trocas de calor - um mecanismo mais eficaz nos nossos antepassados mais peludos.
  3. As glândulas sudoríparas secretam líquido aquoso cuja evaporação diminui a temperatura superficial do corpo.
  4. A presença de tecido adiposo (gordura) subcutâneo protege contra o frio uma vez que a gordura é má condutora de calor.

Como órgão imunitário

A pele é um órgão importante do sistema imunitário. Ela alberga diversos tipos de leucócitos. Há linfócitos que regulam a resposta imunitária e desenvolvem respostas específicas; células apresentadoras de antigénio (histiócitos ou células de Langerhans) que recolhem moléculas estranhas (possíveis invasores) que levam para os gânglios linfáticos onde as apresentam aos linfócitos CD4+; mastócitos envolvidos em reacções alérgicas e luta contra parasitas.

Funções metabólicas

As funções metabólicas da pele são importantes. É lá que é fabricada, numa reacção dependente da luz solar, a vitamina D, uma vitamina essencial para o metabolismo do cálcio e portanto na formação/manutenção saudável dos ossos.

Como órgão dos sentidos

Finalmente, a pele também é um órgão sensorial, constituindo o sentido do tato. Ela apresenta numerosas terminações nervosas, algumas livres, outras com comunicação com órgãos sensoriais especializados, como células de Merckel, folículos pilosos. A pele tem capacidade de detectar sinais que criam as percepções da temperatura, movimento, pressão e dor. É um órgão importante na função sexual.

Ciclo celular da pele

A pele normal produz cerca de 1260 células por dia para cada centímetro quadrado e essas células são provenientes de 27000 células; a pele do doente de psoríase produz 35000 novas células a cada dia para cada centímetro quadrado e essas células provêm de 52000 células. A duração normal do ciclo celular da pele é de 311 horas, mas se reduz para 36 na pele psoriática.

Envelhecimento


Quando há envelhecimento do indivíduo, são formados dois tipos de rugosidades na pele:
  1. Rugas de expressão.
  2. Rugas de envelhecimento. 
Os sulcos de expressão surgem em consequência da repetição constante de determinados movimentos faciais (como frangir a testa), ao passo que as de idade se originam por conta do afrouxamento da musculatura e da própria pele com influência da gravidade.
A Medicina estética cuida dos efeitos das rugas das pessoas, quer através de cirurgias plásticas, quer através de tratamentos, como a aplicação da toxina botulínica, hidratantes, etc.

Embriologia

A pele é constituida por duas camadas germinativas diferentes: a ectoderme e a mesoderme. A epiderme tem origem na ectoderme, enquanto a derme e o tecido adiposo subcutâneo têm origem mesodérmica.

Patologia

A pele é um importante órgão na clínica de várias doenças ou condições benignas que a afetam principalmente ou primariamente outros órgãos.
  • Acantose nigricans - forma de hiperplasia do epitélio da pele.
  • Acne - inflamação dos folículos pilosos devido a infecção pela bactéria Propionibacterium acnes.
  • Alopécia - redução parcial ou total de pelos ou cabelos em uma determinada área de pele.
  • Carbúnculo - doença infecciosa causada pelo Bacillus anthracis com manifestações cutâneas importantes.
  • Celulite - alteração do tecido subcutâneo e gorduroso da pele causando irregularidades na superfície.
  • Dermatite seborreica - doença inflamatória da pele com etiologia autoimune.
  • Efélis ou sarda - é uma hiperpigmentação fotorreativa em alguns pontos da pele que até certo ponto pode ser considerada sem importância (normalmente não necessita de preocupação).
  • Hemangioma - tumor benigno causado por um crescimento anormal de vasos sanguíneos.
  • Ictiose - doença genética com formação de pseudo-escamas na pele.
  • Impetigo - infecção da pele com formação de pústulas por Staphylococcus aureus ou Streptococcus.
  • Lentigo - pigmentação da pele semelhante à efelis, mas que não aparece e desaparece com as estações do ano.
  • Melanoma maligno - tumor dos melanócitos da pele.
  • Melasma - escurecimento da pele devido a hormônios femininos que ocorre sobretudo na gravidez.
  • Molusco contagioso - pápula devido a infecção pelo vírus do molusco contagioso.
  • Nevo - mancha, pinta ou sinal na pele.
  • Pelagra - dermatite devido a deficiência vitamínica.
  • Psoríase - doença autoimune da pele, aspecto de intensa descamação.
  • Rosácea (doença)
  • Pênfigo - doença com formação de bolhas de causa autoimune. Pode ser fatal.
  • Púrpura senil - são petéquias, equimoses, ou hematomas, que aparecem no dorso, punhos, antebraços.
  • Queimadura
  • Tinha - infecção cutânea com fungos. A forma mais importante é o pé de atleta.
  • Tumores da pele - outras neoplasias comuns da pele, como nevos (pontos negros - benigno) e carcinomas epidermoides ou basaloides.
  • UrticáriaEczema e Eritema multiforme -reações alérgicas da pele.
  • Verruga - lesão neoplásica benigna causada por infecção com papilomavirus.
  • Vitiligo - doença autoimune da pele (um dos fatores é o psicológico) faz com que determinadas regiões do corpo (começando geralmente nas extremidades) sofram despigmentação, ficando muito mais clara que a pele normal, necessita de tratamento médico.

Referências