Google+ Followers

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Mycobacterium tuberculosis


Mycobacterium tuberculosis, ou bacilo de Koch, é a bactéria que provoca a maioria dos casos de tuberculose. Foi descrita pela primeira vez em 24 de março de 1882 por Robert Koch, que subsequentemente recebeu o Prêmio Nobel de Fisiologia/Medicina por esta descoberta em 1905. Seu genoma já foi sequenciado.

Ela é uma micobactéria BAAR (bactéria álcool ácido resistente), parasita intracelular, aeróbia obrigatória, que se divide a cada 16-20 horas. Este é um tempo relativamente longo comparado a outras bactérias que normalmente tem suas divisões contadas em minutos (por exemplo a E. coli pode-se dividir a cada 20 minutos aproximadamente). Ela é um pequeno bacilo, fino e encurvado, imóvel, em forma de bastão que pode resistir a desinfetantes fracos e ao ácido gástrico e pode sobreviver em estado latente por semanas e apenas consegue se desenvolver quando se hospeda num organismo. Não cora pelo Gram, embora tenha uma parede similar à das bactérias Gram-negativa. A sua parede é muito rica em lípidos, nomeadamente em ácidos gordos de cadeia longa e ácidos micólicos (também presentes nas Corynebacterium.

Factores de virulência

A parede celular é o factor de virulência mais importante nesta bactéria, face à sua composição:

  • Ácidos micólicos - protegem a bactéria de enzimas hidrolíticas do fagossoma;
  • Factor Cord - glicolípido tóxico para as células dos mamíferos capaz de inibir a migração de PMN;
  • Cera D - responsável pela hipersensibilidade retardada.

Os danos no hospedeiro são maioritariamente causados pela acção do sistema imuitários do hospedeiro.

Patogênese

Na fase inicial da infecção (1-3 dias), os macrófagos (dust cells) activados inespecificametnte fagocitam bacilos. Na segunda fase - Simbiose - os bacilos que não foram eliminados multiplicam-se no interior dos macrófagos. Ocorre um círculo vicioso da fagocitose que define o foco primário da lesão. Há acumulação de material necrótico ('caseum') no interior dos macrófagos. Na terceira fase - Caseação - a caverna ou tubérculo é preenchida com material necrótico. Os bacilos entram em estado de dormência. Finalmente, há Calcificação das cavernas. Se as cavernas não forem calcificadas, o doente imunocompetente desenvolve novas cavernas, enquanto que o doente imunocomprometido desenvolve tuberculose miliar.

Transmissão

  • Transmitida através da tosse,espirro ou expectoração de pessoas infectadas.
  • Disseminação através do ar de gotículas de saliva- as bactérias permanecem em suspensão no ar durante horas;
  • Trauma cutâneo (raro);
  • Ingestão de alimentos cutâneos (raro).

Uma pessoa não tratada infecta 10 a 15 pessoas por ano.

Patologias

Lesão primária:

Lesão secundária:

  • Tuberculose óssea
  • Tuberculose renal
  • Tuberculose intestinal
  • Meningite tuberculosa