Google+ Followers

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Mycobacterium leprae

Como ler uma caixa taxonómicaMycobacterium leprae
Mycobacterium leprae
Mycobacterium leprae
Classificação científica
Reino: Bacteria
Filo: Actinobacteria
Classe: Actinobacteria
Ordem: Actinomycetales
Família: Mycobacteriaceae
Género: Mycobacterium
Espécie: M. leprae
Nome binomial
Mycobacterium leprae
Hansen, 1874

Mycobacterium leprae ou bacilo de Hansen é uma actinobactéria, responsável pela hanseníase, nome politicamente correto para lepra.

Esta bactéria com forma de bacilo é identificada apenas com uma técnica especialmente agressiva, a técnica de Ziehl-Neelsen.

A M. leprae, tal como a M. tuberculosis, é de crescimento extremamente lento quando comparado com o de outras bactérias. Ambas são parasitas intracelulares obrigatórios.

A micobactéria parasita os macrófagos e as células de Schwann que formam a mielina dos nervos periféricos. A destruição da mielina leva à disfunção dos nervos, isto faz com que a pessoa perca o tato.

O sistema imunitário reage eficazmente às micobactérias pela formação de granulomas. O tipo de reacção imunitária ao M. leprae é extremamente importante na progressão da lepra. Esta bactéria sobrevive à fagocitose e multiplica-se inclusivamente dentro dos macrófagos. Se houver uma reacção TH1, citotóxica, com formação de granulomas sequestradores da bactéria e com destruição dos macrófagos infectados, a doença torna-se quase benigna e não é capaz de progredir: é a lepra tuberculóide. Se no entanto for ativada uma resposta TH2, com produção de anticorpos, não há formação de granulomas e a bactéria dissemina-se, surgindo a lepra típica, ou lepra lepromatosa. Quando isso ocorre, as bactérias passam a atuar no sistema nervoso central.