Google+ Followers

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Tratamento de lesão na medula espinhal


Tratamento para lesão na medula espinhal

A melhoria nos cuidados de emergência para pessoas com lesão na medula espinhal e tratamento e reabilitação agressivos podem minimizar os danos ao sistema nervoso, e até restaurar habilidades limitadas. Complicações respiratórias são geralmente uma indicação de lesão severa na medula espinhal, sendo que em torno de 1/3 daqueles com lesão na área do pescoço precisarão de auxílio para respirar. O medicamento metilprednisolona parece reduzir os danos às células nervosas se for dado dentro de 8 horas após a lesão. Programas de reabilitação combinam fisioterapia com atividades para desenvolver habilidades.

Prognóstico para lesão na medula espinhal

Lesões na medula espinhal são classificadas como completas ou incompletas. Uma lesão incompleta significa que a capacidade da medula espinhal transmitir mensagens de e para o cérebro não foi completamente perdida. Pessoas com lesão incompleta retêm alguma função motora e sensorial abaixo do nível da lesão. A lesão completa é indicada pela total falta de função sensorial e motora abaixo do nível da lesão. Pessoas que sobrevivem de lesão na medula espinhal provavelmente terão complicações médicas como dor crônica e disfunção no intestino e bexiga, assim como maior susceptibilidade a problemas cardíacos e respiratórios. A boa recuperação depende de como essas condições crônicas serão administradas no dia-a-dia.

Que pesquisas estão sendo feitas sobre lesão na medula espinhal

O "National Institute of Neurological Disorders and Stroke" (NINDS), nos Estados Unidos, conduz pesquisas que dão aos médicos e pacientes esperanças de que seja possível reparar lesões na medula espinhal. As pesquisas básicas sobre a medula espinhal estão sendo acompanhadas por progressos nas pesquisas clínicas, especialmente na compreensão de tipos de fisioterapia que funcionam melhor. Algumas das técnicas promissoras de reabilitação estão ajudando pacientes com lesão na medula espinhal a ganharem maior capacidade de mobilidade.