Google+ Followers

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Fígado


Fígado, a máquina que não para
É uma massa glandular que segrega bílis, que ajuda a digestão a neutralizar o quimo ácido do estômago.

É um dos órgãos mais volumosos do organismo humano e se comunica com o intestino delgado.

A aparência do órgão



Grande, de cor marrom-avermelhado, o fígado fica próximo ao estômago e está dividido em lobos. O lobo maior é o lado direito e representa 5/6 de todo o órgão. São dois os principais canais de abastecimento de sangue: a veia porta e a artéria hepática. O sangue com nutrientes corre pela veia porta, enquanto que pela artéria hepática chega o sangue rico em oxigênio. Os dois são fundamentais para o trabalho que o fígado precisa fazer.

O fígado é o maior órgão interno do corpo. É, também, a maior e mais pesada das glândulas. A medida que uma pessoa envelhece, o tamanho e peso de seu f ígado modificam-se : o órgão pesa aproximadamente 1,5kg no adulto saudável (com sangue o peso vai para cerca de 2,5kg) e quando esse adulto atinge 60 anos, o f ígado pode ter f icado com a metade do tamanho anterior. O que é normal: mesmo pequeno, o fígado trabalha com eficiência - desde que se mantenha saudável.

O fígado cresce e atinge seu peso máximo, cerca de 1,5kg, na fase adulta. Por volta dos 50 anos de idade começa a diminuir. O mais importante, porém, não é o seu tamanho, mas sim a integridade de suas células. O fígado saudáuel, mesmo pequeno, trabalha tão bem quanto um grande.

O fígado produz cerca de um litro de bile por dia. Esse líquido amargo fica armazenado na vesícula biliar e ajuda o organismo a digerir as gorduras dos alimentos. Depois que comemos, a bile sai da vesícula e dirige-se ao duodeno (primeira parte do intestino delgado), aonde penetra pela ampola de Vater. Aí encontra os alimentos e "quebra", ou separa, as gorduras para que possam ser digeridas mais facilmente. Numa comparação, os detergentes usados na cozinha trabalham de maneira parecida: "quebram" a gordura dos pratos sujos e facilitam a lavagem.

Entre as muitas substâncias que a bile contém, estão:
Pigmentos
Bilirrubina e biliverdina, de tons vermelho e verde, respectivamente.

Sais biliares
Servem para neutralizar a acidez do bolo alimentar que chega ao duodeno vindo do estômago. A maioria dos sais biliares volta para o fígado e é usada novamente.


Sangue sai limpo
Os dois principais lobos do fígado, direito e esquerdo, estão divididos em partes menores, compridas e bem parecidas entre si, chamadas lóbulos. Quando chega ao fígado, o sangue encaminha-se aos lóbulos através de finas veias e artérias. Os lóbulos funcionam como verdadeiros filtros: cuidam de limpar o sangue removendo substâncias tóxicas, ou não necessárias, que entraram em nosso organismo principalmente com comidas e bebidas. Este processo de limpeza numca pára e é uma das mais importantes funções do fígado.

Fonte: www.corpohumano.hpg.ig.com.br

Fígado
O fígado é a maior glândula do corpo humano, localizado no lado direito do abdome, pesa entre 1.300 e 1.500 gramas, nos homens, e 1.200 gramas nas mulheres. É constituído por milhões de células, chamadas de hepatócitos. A cada célula cabe a produção de diversas substâncias essenciais para o equilíbrio do organismo humano. Recebe o sangue venoso que vem da maior parte do trato gastrintestinal através de uma grande veia: a veia porta.

Usina do corpo
Responsável por mais de 400 funções por dia para manter o corpo saudável, o fígado é extremamente importante. Trabalha como uma “usina” produtora de diversas substâncias.

Entre as suas funções, as mais importantes são:
receber os nutrientes e as substâncias absorvidas no intestino
modificar a estrutura química de medicamentos e outras substâncias, atenuando, inativando ou ativando essas substâncias, pela ação de suas enzimas
neutralizar eventuais substâncias tóxicas que sejam ingeridas
armazenar nutrientes como a glicose, aminoácidos e ácidos graxos (gorduras primárias, usadas para produzir gorduras mais complexas)
produzir, a partir desses nutrientes, proteínas e lipoproteínas usadas pelo organismo, como a albumina (principal proteína constituinte do sangue), os fatores de coagulação e o colesterol
ajudar a regular a concentração de glicose no sangue
produzir a bile.
Fonte: www.roche.com.br

FÍGADO


É o maior órgão interno, e é ainda um dos mais importantes. É a mais volumosa de todas as vísceras, pesa cerca de 1,5 kg no homem adulto, e na mulher adulta entre 1,2 e 1,4 kg. Tem cor arroxeada, superfície lisa e recoberta por uma cápsula própria. Está situado no quadrante superior direito da cavidade abdominal.

O tecido hepático é constituído por formações diminutas que recebem o nome de lobos, compostos por colunas de células hepáticas ou hepatócitos, rodeadas por canais diminutos (canalículos), pelos quais passa a bile, secretada pelos hepatócitos. Estes canais se unem para formar o ducto hepático que, junto com o ducto procedente da vesícula biliar, forma o ducto comum da bile, que descarrega seu conteúdo no duodeno.

As células hepáticas ajudam o sangue a assimilar as substâncias nutritivas e a excretar os materiais residuais e as toxinas, bem como esteróides, estrógenos e outros hormônios. O fígado é um órgão muito versátil. Armazena glicogênio, ferro, cobre e vitaminas. Produz carboidratos a partir de lipídios ou de proteínas, e lipídios a partir de carboidratos ou de proteínas. Sintetiza também o colesterol e purifica muitos fármacos e muitas outras substâncias. O termo hepatite é usado para definir qualquer inflamação no fígado, como a cirrose.

Funções do fígado
Secretar a bile, líquido que atua no emulsionamento das gorduras ingeridas, facilitando, assim, a ação da lipase
Remover moléculas de glicose no sangue, reunindo-as quimicamente para formar glicogênio, que é armazenado; nos momentos de necessidade, o glicogênio é reconvertido em moléculas de glicose, que são relançadas na circulação
Armazenar ferro e certas vitaminas em suas células
Metabolizar lipídeos
Sintetizar diversas proteínas presentes no sangue, de fatores imunológicos e de coagulação e de substâncias transportadoras de oxigênio e gorduras
Degradar álcool e outras substâncias tóxicas, auxiliando na desintoxicação do organismo
Destruir hemácias (glóbulos vermelhos) velhas ou anormais, transformando sua hemoglobina em bilirrubina, o pigmento castanho-esverdeado presente na bile.
Fonte: www.afh.bio.br Negrito

Fígado
Localizados na porção superior direita do abdômen, o fígado e a vesícula biliar estão conectados por ductos conhecidos como vias biliares. No entanto, apesar dessa conexão e do fato do fígado e da vesícula biliar participarem em algumas funções comuns, eles são diferentes. O fígado, o qual possui uma forma de cunha, é a fábrica de elementos químicos do organismo.

Trata-se de um órgão complexo que desempenha muitas funções vitais, da regulação da concentração de substâncias químicas no organismo até a produção de substâncias que intervêm na coagulação do sangue durante uma hemorragia. Por outro lado, a vesícula biliar, que possui uma forma de pêra, é simplesmente um pequeno reservatório de bile, um líquido produzido pelo fígado que facilita a digestão dos alimentos.

Fígado
O fígado é o maior e, em alguns aspectos, o mais complexo órgão do corpo humano. Uma de suas principais funções é degradar as substâncias tóxicas absorvidas do intestino ou produzi das em outras áreas do corpo e, em seguida, excretá-las como subprodutos inofensivos pela bile ou pelo sangue. Os subprodutos da bile passam para o intestino e são eliminados do organismo com as fezes.

Os subprodutos do sangue são filtrados pelos rins e, em seguida, são eliminados pelo organismo na urina. O fígado produz aproximadamente metade do colesterol do organismo. O restante é oriundo dos alimentos. Cerca de 80% do colesterol produzido pelo fígado é utilizado na produção de bile.

O colesterol é uma parte vital da membrana celular e é necessário para a produção de determinados hormônios (p.ex., o estrogênio, a testosterona e a adrenalina e a noradrenalina). O fígado também converte as substâncias contidas nos alimentos digeridos em proteínas, gorduras e carboidratos. Os açúcares são armazenados no fígado sob a forma de glicogênio e, quando necessário (p.ex., quando a concentração de açúcar no sangue torna-se muito baixa), são fracionados e liberados na corrente sangüínea sob a forma de glicose. Uma outra função do fígado é a sintetização de muitos compostos importantes, sobretudo de proteínas, que o corpo utiliza para realizar diferentes funções.

Entre elas encontram-se substâncias necessárias para o processo de coagulação do sangue quando ocorre uma hemorragia. Essas substâncias são conhecidas como fatores da coagulação. O fígado recebe sangue tanto do intestino quanto do coração. Pequenos capilares da parede intestinal desembocam na veia porta, que penetra no fígado. A seguir, o sangue circula através de uma rede de pequenos canais internos, no interior do fígado, onde ocorre o processamento de nutrientes digeridos e de substâncias nocivas.

A artéria hepática transporta o sangue do coração ao fígado e o sangue transporta oxigênio para o tecido hepático em si, assim como colesterol e outras substâncias para serem processadas.

Em seguida, o sangue do intestino e do coração misturam-se e circulam de volta ao coração através da veia hepática. As disfunções hepáticas podem ser, a grosso modo, divididas em dois grupos: aquelas causadas por uma disfunção das células hepáticas em si (p.ex., cirrose ou hepatite) e aquelas causadas por uma obstrução do fluxo da bile secretada pelo fígado através das vias biliares (p.ex., cálculos biliares ou câncer).


Vesícula Biliar e Vias Biliares
A vesícula biliar é uma pequena bolsa muscular de armazenamento que contém bile, uma secreção digestiva viscosa verde-amarelada produzida pelo fígado. A bile sai do fígado através dos ductos hepáticos direito e esquerdo, os quais se unem para formar o ducto hepático comum. Em seguida, esse ducto une-se a um outro proveniente da vesícula biliar, denominado ducto cístico, formando o ducto biliar comum. O ducto biliar comum desemboca no intestino delgado (na sua parte superior), ao nível do esfíncter de Oddi, alguns centímetros abaixo do estômago. Aproximadamente 50% da bile secretada entre as refeições é desviada através do ducto cístico para a vesícula biliar.

O restante da bile flui diretamente através do ducto biliar comum para o interior do intestino delgado. Quando uma pessoa alimenta- se, a vesícula biliar contrai, drenando a sua bile para o interior do intestino para ajudar na digestão de gorduras e de determinadas vitaminas. A bile é constituída por sais biliares, eletrólitos, pigmentos biliares (p.ex., bilirrubina), colesterol e outras gorduras (lipídeos). Ela é responsável pela eliminação de certos produtos metabólicos do organismo, sobretudo os pigmentos provenientes da destruição de eritrócitos e o colesterol em excesso, e auxilia na digestão e na absorção de gorduras.

Os sais biliares aumentam a solubilidade do colesterol, das gorduras e das vitaminas lipossolúveis (solúveis em gordura) para ajudar na sua absorção do intestino. A hemoglobina originária dos eritrócitos é transformada em bilirrubina (o principal pigmento na bile) e excretada na bile como produto metabólico. Além disso, várias proteínas que possuem papéis importantes na função biliar são secretadas na bile. Os cálculos biliares podem obstruir o fluxo da bile da vesícula biliar, causando dor (cólica biliar) ou inflamação da vesícula biliar (colecistite). Os cálculos também podem migrar da vesícula biliar para o ducto biliar, onde eles podem causar icterícia ao bloquearem o fluxo normal da bile até o intestino. O fluxo também pode ser bloqueado por tumores e por outras causas menos comuns.